A HISTÓRIA DO SMOKEY EYES


O Smokey eyes  é uma tendência de maquiagem dramática que pode ser vista em todos os lugares: na rua ,no tapete vermelho de noites de gala de atrizes célebres e em diversos tons: do preto clássico a esfumados avermelhados, marrons, cinzas, azuis, roxos…. 
Trata-se de uma maquiagem glamorosa , perfeita para quem deseja um look sofisticado e misterioso.
Nos anos 20, quando o corpo do faraó egípcio  Tutancámon foi descoberto dentro de seu sarcófago, no Vale dos Reis, com seus olhos pintados de negro, esta maquiagem foi copiada pelas atrizes de Hollywood. 
Os orientais geralmente usavam o Kajal (que significa ‘carvão’) , para se maquiar e sobretudo para proteger os olhos de impurezas e partículas diversas, assim como da luminosidade excessiva. 

A incrível Theda Bara, primeira intérprete de Cléopatra, foi uma das precursoras a usar este tipo de maquiagem, seguida por Louise Brooks, no início do século XX. 

E, nos anos 20, esta técnica passou a ser usada no cinema para transmitir as emoções dos atores. Tanto os olhos quanto as sobrancelhas começaram a ser maquiados de preto. Quando os lábios eram maquiados, o tom preferido era o vermelho forte, que parecia quase preto na tela.
Depois dos anos 20 e da introdução do smokey eyes no mundo dos astros, esta técnica de maquiagem foi sendo desenvolvida  para, nos anos 2000 se democratizar ao ser usada nos desfiles de grandes criadores da moda como Yves Saint Laurent ou Marc Jacobs.
 No século XXI, os maquiadores passaram a experimentar esta técnica com diferentes  nuances de marrom, cinza e outros tons escuros. A sombra passou então aplicada em toda pálpebra superior e inferior e sua intensidade foi sendo acentuada  e dramatizada com rímel preto.

Deixe uma resposta